Rihanna é capa da revista Vanity Fair de novembro.

Realizado em Cuba, no mês de maio, Rihanna pousou para as lentes de Annie Leibovitz no photoshoot da revista Vanity Fair e ainda bateu um papo com a entrevistadora Lisa Robinson sobre relacionamentos, Chris Brown, sua vida aos olhos da mídia, homens, solidão e dentre outros assuntos.

O que faz Rihanna especial – tirando a música – é que ela é alguém que verdadeiramente é ela mesma. As pessoas se identificam com ela. Você está vendo uma versão autêntica do que ela é. Você consegue ver as feridas dela, os defeitos… Ela já passou por coisas que todo mundo já passou – relacionamentos conturbados, coisas que aconteceram na frente dos olhos de todos – e ela vem fazendo um ótimo trabalho quando se trata de manter a vida dela privada, apenas vivendo sua vida como uma jovem… Sem remorsos. Você precisa ter uma pele dura nessa industria; você vai ouvir algumas coisas sobre você que você vai pensar: “Hã? O quê? Você é louco?

rihanna-november-2015-cover-annie-leibovitz-vf-02

Rihanna: Eu sinceramente penso o quão divertido seria se eu vivesse a reputação que tenho. As pessoas têm essa imagem do quanto eu sou selvagem e louca, e eu não sou tudo isso que eles pensam de mim. A realidade é que a fama, os rumores – essa foto significa isso, aquela outra foto significa aquilo – isso realmente me assusta. Isso me fez me afastar até de querer namorar alguém. Se tornou natural pra mim, fechar essa porta e apenas aceitar isso. Eu estou sempre preocupada se as pessoas estão com boas ou más intenções.

Rihanna se senta à mesa na minha frente em uma sala privada no Giorgio Baldi, seu restaurante preferido em L.A. Seu cabelo avermelhado, ondulado; Seu rosto parece estar sem maquiagem. Ela é ainda mais bonita pessoalmente do que nas fotos. Ela está vestindo um crop top branco, shorts jeans rasgado, tênis puma e um roupão. Quando ela pede três pratos meias-porções de massa (Espaguete pom odoro com manjericão, nhoque e ravióli).

rihanna-november-2015-cover-annie-leibovitz-vf-03

Entrevistadora: Como você consegue manter esse corpo com curvas e ainda assim magro?

Rihanna: De verdade, eu tenho ido á academia todos os dias essa semana porque eu não estou disposta a abandonar minha comida. Mas estou disposta a sacrificar 1 hora na academia.

A mulher de 27 anos na minha frente não é provocadora, rainha do hip hop selvagem, a garota sexy mais invejada, que compra garrafas de bebida na balada, muito menos a que frequenta as melhores festas de LA e Nova York como 1Oak e Up & Down. Também não é a mulher que vem sendo definida como durona, escandalosa, safada – por estar sempre nos tabloides atrelada a algum rapper, ator, atleta. Ela é elegante, engraçada, honesta, francamente apavorada (e ri histericamente) de todos os rumores que eu comento sobre ela. E enquanto as pessoas insistem em dizer que a vida dela é uma grande noite sexy na cidade, ela insiste em dizer que isso não é verdade.

Entrevistadora: O que você acha sobre a sua reputação de “garota má”?

Rihanna: Sinceramente, eu tenho pensado ultimamente no quão tediosa estou. Quando eu tenho tempo pra mim, eu assisto TV.

Quando se trata de histórias inventadas, Rihanna sabe do que fala. Apesar de todos os rumores de ligações sexuais, Rihanna diz que seu último namorado oficial foi Chris Brown – quando eles voltaram 3 anos depois de ele tê-la agredido em 2009. (mais sobre isso mais tarde) – E antes dele, o jogador Matt Kemp, que ela diz que estava começando a conhecê-lo quando paparazzi conseguiram fotos deles juntos.

Rihanna:Nós ainda estávamos nos conhecendo… Estávamos juntos há apenas 3 meses, e eu gostava da vibe dele, ele era um cara legal, e aí os paparazzi nos pegaram numa viagem no México. Ele lidou bem com aquilo, eu não. Aquilo me deixou tão desconfortável porque, e agora? Ele não vai mais poder ser visto com nenhuma outra mulher porque senão vai aparecer nas notícias de que ele está me traindo, e eu nem conheço esse cara tão bem assim. Alguns caras… Eu nem sequer tenho o número deles, você nem acreditaria. Estou falando sério, deixo nas mãos de Deus.

Entrevistadora: Visto que ela está livre e solteira, porque não fazer sexo só por divertimento?

Rihanna: Se eu quisesse, eu faria isso completamente. Eu vou fazer o que me faz feliz, o que sinto que tenho que fazer, mas isso iria ser muito vazio pra mim; Isso pra mim é um passo oco, vazio. Eu iria acordar no outro dia me sentindo um lixo. Quando você ama alguém, é diferente. Mesmo se você não o ama, mas quando você se importa o suficiente com alguém e você sabe que ele também se importa com você, você sabe que ele não te desrespeita. E se trata do meu próprio respeito por mim mesma. Cem por cento. Ás vezes é a primeira vez que estou encontrando essa pessoa – e de repente eu já “estou com ela” Isso me assusta. A indústria cria histórias e ambientes que te faz ficar desconfortável até pra ser amigo de alguém. Se você me ver sentada perto de alguém, ou em pé do lado de alguém, o quê? eu não posso fazer isso? Eu fico tipo, você tá falando sério? Você acha que isso vai me impedir de fazer um amigo? Eu sou a pior. Eu vejo um rumor e eu não ligo pra eles de volta. Eu tive que ser consciente das pessoas – O que elas dizem e porque elas querem estar comigo, porque querem dormir comigo… Me faz ficar muito reservada e protegida. Eu aprendi da maneira mais difícil. Eu sempre vejo o melhor nas pessoas,” ela diz. “Eu espero pelo melhor, e eu sempre procuro por aquela pequena parte boa, aquele potencial, e eu espero pra que isso desabroche, floresça; Você quer que eles se sintam bem sendo homem, mas agora os homens estão com medo de ser homens. Eles acham que ser homens é na verdade ser um idiota, que se você ajeitar a cadeira para uma mulher, ou você ser gentil, ou até mesmo carinhoso com a sua garota na frente dos seus amigos, você é menos homem. Isso é doentio. Eles não serão cavalheiros porque isso faz com que eles pareçam fofos. É com isso que estamos lidando atualmente, e as garotas estão aceitando isso, mas eu não. Eu vou esperar pra sempre se eu tiver que… Mas tudo bem. Você precisa se ferrar várias vezes para aprender, mas agora eu estou esperando por mais do que esses caras podem oferecer. É por isso que eu não tenho feito sexo e nem tenho saído com ninguém. Porque eu não quero acordar no outro dia me sentindo culpada. Claro, eu fico com tesão, eu sou humana, sou mulher, quero fazer sexo. Mas o que eu vou fazer? – Achar o primeiro cara desconhecido e bonitinho que eu acho que será uma boa companhia pra minha noite pra amanhã eu acordar me sentindo vazia? Ele tem uma ótima história pra contar e eu tipo… O que eu estou fazendo? Eu não posso fazer isso comigo mesma. Eu não posso. Tem muito pouco a ver com a fama e muito a ver com a mulher que eu sou. E isso me salva.

rihanna-november-2015-cover-annie-leibovitz-vf-01

 

Entrevistadora:Você é solitária?

Rihanna: É solitário. Mas eu tenho tanto trabalho que até me distraio. Eu não tenho tempo pra ser sozinha. E eu fico com medo de relacionamentos porque eu me sinto culpada em querer alguém que seja completamente confiável e fiel, quando eu não consigo dar a eles 10% da atenção que eles precisam. É só a realidade do meu momento, da minha vida, minha agenda.

Em 7 de fevereiro de 2009, uma noite antes do Grammy, após festa de Clive Davis, um episódio que mudaria a vida dela e provavelmente ficaria atrelado a ela para sempre. O então namorado de Rihanna, Chris Brown, seu primeiro amor, a agrediu e a deixou sangrando e machucada na beira da estrada. Fotos dela com o rosto machucado vazaram para o TMZ. Rihanna diz, “Uma mulher muito suja que achou que um cheque era mais importante do que caráter. Isso choca você?” E em 2014, quase 6 anos depois, Rihanna foi envolvida no escândalo de violência doméstica do Ray Rice, quando a N.F.L e a CBS escolheram não tocar “Run This Town” – hit de Rihanna, Kanye e Jay Z – durante a abertura do evento. Ela respondeu no twitter, e Jay Z achou que a resposta dela foi apropriada. A N.F.L achou que fosse uma distração, e ela pensou tipo: “Você está me punindo pelo que aconteceu com o Ray Rice?”

Entrevistadora: Você sempre será um modelo para as vítimas de violência doméstica?

Rihanna: Bem, eu nunca entendi isso. Tipo, como as vitimas são punidas incessantemente. Está no passado, e eu não quero dizer ‘esqueçam isso’, porque é uma coisa séria e relevante; É real. Muitas mulheres, muitas garotas jovens ainda passam por isso. Muitos rapazes também. Não é um assunto para jogar para baixo do tapete, então eu não posso apenas dispensar isso como se não fosse nada, ou não levar isso a sério. Mas pra mim, e toda vitima de violência doméstica, ninguém quer relembrar isso. Nem mesmo admitir isso. Então, falar sobre isso uma vez, muito menos 200 vezes é tipo… Eu tenho que ser punida por isso? Não se encaixa muito bem na minha cabeça.

Rihanna está quieta e pensativa quando fala sobre sua volta com Chris Brown pela segunda vez e por ter pedido ao juiz para suspender a ordem de restrição contra ele.

Rihanna: Eu era aquela garota, aquela garota que sentia que quanto maior a dor na relação, talvez algumas pessoas são feitas mais fortes do que as outras. Talvez eu seja uma dessas pessoas, feitas para lidar com coisas assim. Talvez eu seja a pessoa que é quase um anjo de guarda para essa pessoa, para estar lá quando ela não for forte o suficiente, quando não está entendendo o mundo, quando ele precisar de alguém para encorajá-lo positivamente e dizer a coisa certa.

Entrevistadora: Você achou que poderia mudá-lo?

Rihanna: Exatamente. Eu protegia muito ele. Eu sentia que as pessoas não o entendiam. Mesmo depois… Mas você sabe, você percebe que depois de um tempo, que naquela situação você é o inimigo. Você quer o melhor pra eles, mas se você lembrar das falhas deles, ou se você lembrar dos momentos ruins na vida deles, ou até se você diz que está disposta a alguma coisa, eles pensam menos de você – porque eles sabem que você não merece o que eles estão te dando. E se você aceitar isso, talvez você esteja concordando que você realmente merece isso, e foi nessa hora que eu finalmente tive que dizer, ‘Uh-oh, eu fui idiota achando que fui feita pra isso.’ As vezes você simplesmente tem que ir embora. Eu não odeio ele. Eu vou me importar com ele até o dia em que eu morrer, nós não somos amigos, não não é como se fossemos inimigos. Nós não temos nenhuma relação no momento.

rihanna-november-2015-cover-annie-leibovitz-vf-04

Enquanto muitas pessoas descrevem Rihanna como “destemida”, Jay Z diz que ele a vê mais como “impetuosa”. O que Rihanna realmente sente medo – além do parto (mesmo ela dizendo que quer muito ter um bebê algum dia) – é o pedestal que a fama traz.

Rihanna: Tudo parece muito reluzente e brilhante. Mas é muito assustador e irreal. Há um caminho muito longo pra você cair se você fingir que é algo muito distante daqui da terra, distante da realidade, flutuando numa bolha que está protegida pela fama ou sucesso. É assustador, e é o que eu mais temo: Ser engolida por essa bolha. A fama pode ser um veneno para você.

Mesmo ela sendo mais acessível – e educada- com seus fãs do que algumas outras celebridades que fingem ser educados, ela diz que as conversas diárias com suas amigas se concentram em: Como ela poderia ter uma vida normal? Eu mencionei que uma vez Eminem disse que ele trocaria muito do seu dinheiro apenas pra poder ir ao shopping.

Rihanna: Cara! Meu Deus – isso é assustador e triste ao mesmo tempo. Literalmente, eu sonho em poder fazer minhas próprias compras. Juro por Deus. Porque é algo que é real e é normal. Algo que que pode fazer você ficar um pouco desconfortável.

Entrevistadora: Desconfortável?

Rihanna: Exatamente. Porque a vida não é perfeita. E no momento em que você sentir que está perfeita, não é real. Artistas assinam contrato para fazer música, nós não assinamos nada para sermos perfeitos, ou para sermos exemplos a serem seguidos. Nós somos todos seres humanos imperfeitos, estamos aprendendo, crescendo e evoluindo e passando pelas mesmas merdas que todo mundo. O fato das pessoas esperarem que a partir do momento que assinamos um contrato, temos que ser perfeito não faz sentido nenhum pra mim. Até as tragédias, toda provação na sua vida é um teste. É uma aula, você faz a prova, e se você não passar, você muda para a próxima. Você ainda precisa fazer outra prova e se testar de novo.E ter passando por tanto drama, problemas nos relacionamento e todos esses testes, quando se trata da sua vida pessoal, Rihanna diz que por agora: >Estou bem comigo mesma. Eu não quero deixar ninguém se aproximar. Tenho muitas coisas agora e eu não estou preocupada com isso.

Entrevistadora: Vai precisar de uma pessoa muito especial na sua vida.

Rihanna: Com certeza. Um cara extraordinariamente cavalheiro, com muita paciência vai vir quando eu menos esperar. E eu não quero isso agora. Eu não posso ser tudo pra alguém agora. Essa é a minha realidade agora.

Entrevista: Alguém vai vir com um cavalo branco…

Rihanna: Não com um cavalo branco. Provavelmente numa moto preta.

rihanna-november-2015-cover-annie-leibovitz-vf-05

The following two tabs change content below.

COMENTÁRIOS